Rádio Polarímetro Solar (RaPoSo)- Brasil

O Rádio Polarímetro Solar consiste de uma antena de 1,5 m de diâmetro que opera com dois receptores de baixo ruído (LNA) em ‘double side band’ (DSB) com freqüência central em 7 GHz e banda passante menor que 200 MHz. O sistema é dedicado para detectar a radiação solar circularmente polarizada (direita - R e esquerda - L) com alta resolução temporal (10 ms) e alta sensibilidade (0,5 ufs, 1 ufs= 10-22 W m-2 Hz-1). O monitoramento do Sol é feito entre as 8:00 e 20:00 horas locais (10:00 às 20:00 UT), quando o Sol está acima de 15 graus de elevação. O RaPoSo é controlado por dois programas especialmente desenvolvidos para o sistema com o LabWindows-CVI, que realizam automaticamente as operações de rastreio e aquisição de dados.


O monitoramento da intensidade e polarização do sinal em microondas é importante para se caracterizar o comportamento da radiação de variação lenta (componente S) do Sol, especialmente durante os períodos que antecedem a ocorrência de grandes explosões solares e/ou ejeções de massas coronais, fenômenos estes que podem produzir grandes problemas nos satélites em órbita bem como aqui na Terra.


O estudo dos padrões de comportamento dos sinais é feito através da análise wavelet, e se pretende definir comportamentos que indiquem, a curto e médio prazo, a ocorrências de tais fenômenos perturbadores. Resultados preliminares têm mostrado que os sinais apresentam variações significativas nos parâmetros da análise wavelet que se iniciam alguns minutos antes de explosões de pequeno porte, mas que podem ser percebidas até horas e/ou dias antes das grandes explosões (por exemplo figura abaixo).


Análise Wavelet da emissão em 7 GHz do Sol para o dia 26 de outubro de 2003. A figura mostra: a) intensidade da emissão em 7 GHz (traço escuro) junto com o fluxo em raios X do GOES, b) a amplitude do ruído do sinal em 7 GHz, e da análise Wavelet: c) o escalograma e d) os índices MRA para duas faixas de períodos, o curto entre 0,2 e 3 s (traço escuro) e o longo para períodos entre 0,2 e 16 s (traço claro).



Além da previsão de atividade solar, a análise detalhada das explosões solares detectadas em conjunto com outros experimentos de solo e de satélite, tem resultado em trabalhos importantes para a interpretação dos mecanismos de liberação de energia na atmosfera solar.